"Les tableaux sont effrayants, les principes sont perverts, les conséquences sont terribles, et c'est pourquoi nous avons écrit. S'il est dangereux de parler, il serait perfide de se taire." Jean-Pierre Louis de Luchet
13 de Outubro de 2010

Este é o meu primeiro post neste blog. Um post que vem de longe e é escrito por alguém que apesar de viver a 2400 kms de Lisboa, se preocupa com o que se passa no nosso País.


Após muitos anos em que o lema era “gastar agora e não nos preocuparmos com o pagar” eis que finalmente estamos a chegar à altura em que os credores aos poucos virão bater à porta e pedir o que é seu de direito. Desde a nossa entrada para a então CEE que Governo atrás de Governo apenas se preocupou em gastar em muita coisa que não era necessária e esqueceu muitas outras de grande importância. Viu-se a construção de um caixote em frente ao Planetário a que se deu o nome pomposo de Centro Cultural de Belém. Fez-se a Expo98 que de bom só trouxe a despoluição do Rio Trancão e a limpeza da zona leste de Lisboa que só de lá ir metia medo. Quase que se podia chamar a lixeira da Península Ibérica. Depois lá veio o Euro 2004. Foi um construir de estádios de futebol sem olhar aos princípios elementares de paisagem urbanística em que qualquer criança atenta terá pena de não ter uma retro-escavadora para efectuar a demolição do que vê à frente. Por fim vemos os anunciados investimentos no TGV que ninguém irá utilizar e que está provado que vai dar prejuízo, o novo aeroporto, enfim, é umdesenrolar de trapalhadas e de asneiras que insulta o mais comum dos mortais.


Será que quem nos governa o faz como governa a sua casa? Se assim é explica-se então o que todos os anos me espanta quando vou de férias a Portugal. Num país onde o salário mínimo é tão baixo e que apenas por vergonha não o menciono aqui e onde empresas requerem que os seus funcionários estejam disponíveis quase 24 horas por dia e 7 dias por semana, por vezes tenho a impressão que não estou em Portugal mas sim noutro País ou noutro planeta noutra galáxia. Vejo pessoas com ordenados baixos e que vivem em casas que muitas vezes estão cheias de humidade ou a precisar de grandes obras, a andar com roupas de marca, telemóveis de última geração, numa ostentação que apenas me faz pensar que o Governo de Portugal é o espelho da sociedade que governa.


Estrangeiros que fazem férias no nosso País por vezes perguntam como é que os Portugueses fazem para viver? Com o que ganham, como é que compram um carro, uma casa e conseguem andar vestidos como andam, passar as férias que passam, ir ao restaurante e ter todos os gadgets que têm. Eu respondo que não sei, que isso também me faz confusão. Respondo que conheço desempregados que têm filhos a seu cargo e que vão de férias aos Estados Unidos…


Fico preplexo ao ver o Serviço Nacional de Saúde e as suas famosas Listas de Espera, os preços pagos por cuidados médicos no privado, os sacrifícios pedidos aos Portugueses por “gente de barriga cheia” e que depois mostram a redução de umas meras migalhas (quando mostram) no seu salário porque “o exemplo vem de cima”.


Será a situação do País apenas culpa do Governo?

 

coagitado por Miguel às 14:27
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
16
18
22
23
25
29
30
31
arquivos
Posts mais comentados
2 comentários
1 cometário
1 cometário
últ. comentários
Li por acaso e adorei..
Claro que à esquerda não há extremistas. Sempre a ...
Danny, ganha juízo, pá
Temos os líderes que merecemos.
Não me ocorre nenhuma maneira melhor de passar um ...
Mas quando?
Gosto das ideias, mas deviam rever o grafismo do b...
Gostei! Continua assim, indomável...
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Li por acaso e adorei..
Claro que à esquerda não há extremistas. Sempre a ...
Danny, ganha juízo, pá
Temos os líderes que merecemos.
Não me ocorre nenhuma maneira melhor de passar um ...
Mas quando?
Gosto das ideias, mas deviam rever o grafismo do b...
Gostei! Continua assim, indomável...