"Les tableaux sont effrayants, les principes sont perverts, les conséquences sont terribles, et c'est pourquoi nous avons écrit. S'il est dangereux de parler, il serait perfide de se taire." Jean-Pierre Louis de Luchet
27 de Outubro de 2010

Após uma leitura de Rancière mais transversal do que o desejável, surgiu-me um daqueles eurekas! que nem a Mefistófeles lembram: a democracia é o espaço de litígio que caracteriza a época - apesar de tudo...- estética em que vivemos. Orfã de Deus (graças ao próprio conceito) e de paradigmas dogmáticos, tem no ser cerne um conjunto de forças de pensamento, de emotividade, de sensação e de acção, cujo desfecho é necessariamente incerto. Não sendo variáveis determinantes a acrítica maioria ou eventuais consensos publicitários. Tempo de voltar ao demos e deixar por momentos a cracia sossegadita. Ouçamos. Sigamos a anatomia, que sabiamente nos aponta a humana característica de nascermos com dois pontos e audição e apenas um de verbalização.

coagitado por Daniel Martins às 23:56
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
16
18
22
23
25
29
30
31
arquivos
Posts mais comentados
2 comentários
1 cometário
1 cometário
últ. comentários
Li por acaso e adorei..
Claro que à esquerda não há extremistas. Sempre a ...
Danny, ganha juízo, pá
Temos os líderes que merecemos.
Não me ocorre nenhuma maneira melhor de passar um ...
Mas quando?
Gosto das ideias, mas deviam rever o grafismo do b...
Gostei! Continua assim, indomável...
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Li por acaso e adorei..
Claro que à esquerda não há extremistas. Sempre a ...
Danny, ganha juízo, pá
Temos os líderes que merecemos.
Não me ocorre nenhuma maneira melhor de passar um ...
Mas quando?
Gosto das ideias, mas deviam rever o grafismo do b...
Gostei! Continua assim, indomável...